terça-feira, 1 de janeiro de 2008

A utilidade das guerras/No Control

A UTILIDADE DAS GUERRAS

Existem poucas coisas,no mundo,tão úteis quanto as guerras.Entre as utilidades da guerra eu poderia citar:criação de novos medicamentos,soluções para superpopulação,renovação cultural e ideológica,conquistas territoriais,etc.O problema é que a guerra possui um contexto excessivamente violento para que as pessoas a encarem de maneira madura e crítica.Muitas pessoas morrem em guerras,por vezes,populações dizimadas.Mas então eu pergunto:se um povo não possuía poderio bélico ou influência política o bastante para sobreviver a uma guerra,será que a mesma sobreviveria por muito tempo?Outra coisa,imaginem se as guerras não tivessem ocorrido,como seriam vazias as letras de tantas músicas,quanta arte não existiria.Um outro fator é que um número grande de pessoas morre em guerras,o que é extremamente importante para a humanidade.Se não fosse pelas guerras,provavelmente,superpopulação já seria um assunto comentado há muito mais tempo.Então,na minha opinião,as guerras são de uma utilidade imensa.Faz uma limpeza geral no mundo como nenhuma outra coisa faz,mas falta à humanidade maturidade e capacidade crítica para enxergar isso.

NO CONTROL

Acordei um dia e me sentia muito mal.
Percebi que me forçava a ser o que não queria.
Descobri que talvez um dia até conseguiria,
mas que natural minha personalidade não seria.
Eu queria ser ele,eu queria ser ela.
E em tentativa de ser tudo menos eu,acabei sendo nada.
O ser nada é confuso e disso desisti.
Era simplesmente uma parede de obviedade à qual eu não conseguia transpor.
E quando enxerguei além,vi coisas tão bonitas.
Me descobri belo e me amei.
E todos que eu acreditava ser tão belos,
descobri que eram feios e limitados.
E me amei mais.
E de tanto me amar e dos outros esquecer,passei a me amar de mais e a todos ignorar.
Me isolei num poço de escuridão e amargura
e fiz dele o meu lar por um bom tempo.
Um dia destruiram o meu poço de ilusões
e para além dele havia coisas belas das quais eu queria provar.
Mas ao lembrar de quanto ódio eu sentia,o que via lá fora
tive medo de experimentar.
Senti-me pequeno e triste e até quis me matar.
Mas um dia descobri que era possível me amar e amar aos outros.
Procurei o meio-termo,juro que as buscas pelo mesmo me entreteram por algum tempo.
Mas acabei descobrindo na idéia do meio-termo uma utopia.
Quanto mais eu procurava mais o meu objetivo se escondia.
E de uma vez por todas meu mundo se empobrecia.
Eram flores que murchavam e a beleza adormecia para toda a eternidade.
Sonhei por muito tempo mas agora acordei.
Não há nada em que se deva acreditar de fato.
E aquela era a real beleza da minha vida.
Mas ao olhar pra trás vi que muito tempo havia perdido.
Observei minha pele e nela estavam os traços de minha idade.
Ao sorrir por descobrir o real objetivo e verdade de minha vida,percebi que,na verdade,era meu ser que fenecia.

2 comentários:

Báah - Thoughtless disse...

acho a utilidade das guerras discutível.

Simplesmente adorei No Control!
Muito bom mesmo !!

Mauro disse...

ta bom, vamos lá...

"a utilidade das guerras"

talvez seria melhor mudar esse título, que tal:

"o benefício da guerra"!? ( se é que trás algum benefício)


"criação de novos medicamentos,soluções para superpopulação,renovação cultural e ideológica,conquistas territoriais..."

sim, essas são algumas das muitas consequências(e não utilidades) da guerra, mas, será que isso compensa os outros fatores? não vejo a guerra como responsável pela criação de novos medicamentos, mas por outro lado ela é responsável pela criação de NOVAS doenças !

"O problema é que a guerra possui um contexto excessivamente violento para que as pessoas a encarem de maneira madura e crítica"

certamente! não existe outra maneira de enxergar uma guerra!

"Muitas pessoas morrem em guerras,por vezes,populações dizimadas"

você acha que isso é necessário para o bem da humanidade? uma mancha de sangue na história?

nada relacionado a guerra é bom, guerras são horrendas, pessoas morrem, pessoas inocentes morrem, famílias são trucidadas, culturas são riscadas do mapa.

a guerra é simples: primeiro o desespero, depois a dor.

"se um povo não possuía poderio bélico ou influência política o bastante para sobreviver a uma guerra,será que a mesma sobreviveria por muito tempo"

não acho que seja comum com o passar do tempo bombas nucleares e produtos tóxicos "caírem" em uma civilização. (pois, é assim que a querra funciona) se todos os povos dessem as mãos seria mais fácil encarar os problemas.

"Outra coisa,imaginem se as guerras não tivessem ocorrido,como seriam vazias as letras de tantas músicas,quanta arte não existiria"

a música e a arte podem ser feitas. cada povo tem sua cultura e seus costumes ou hábitos. um exemplo disso é o Brasil, onde existe carnaval como existe aqui? imagine se o brasil fosse completamente destruído por uma guerra! pense! Quantos costumes, crenças, festas, comidas típicas acabariam! Você está equivocado, a guerra não "cria" ela destrói!

"Um outro fator é que um número grande de pessoas morre em guerras,o que é extremamente importante para a humanidade.Se não fosse pelas guerras,provavelmente,superpopulação já seria um assunto comentado há muito mais tempo"

ta, vamos matar as pessoas!? problema resolvido!?
essa não é a solução, quem decide o valor da vida humana? nós? quem decide quem morre e quem vive? a superpopulação é um fato.

você fala de limpeza no mundo.
isso me lembra 'adolf hitler'

espero poder debater melhor sobre este assunto. abraços. Mauro