sábado, 21 de julho de 2007

Textos

Já faz um tempo que eu não me dou liberdade o bastante para voltar a pensar,logo escrever.E não vai ser agora que vou fazê-lo.Eu fico triste em abandonar o blog por falta de criatividade,então eu vou tentar escrever coisas mais leves por aqui.Composições singelas e talvez até doces,se comparadas à densidade dos meus textos e reflexões passadas.Isso é uma parte do quão fraco me tornei.Mas vou ter pelo menos,o prazer da escrita.


OBS.:Os textos abaixo são espécies de análises de pessoas idosas ao estágio no qual chegaram depois de toda uma vida.E abaixo dos textos vão haver comentários feitos por mim sobre meus próprios textos.

TEXTO 1

Chegamos ao estágio da indiferença.A boca murcha,os lábios caídos e os sorrisos falhos são reflexos do que nos tornamos.Envelhecemos com os nossos sonhos e com a nossa sabedoria já tão pouco valorizada.Nossa nostalgia é desvalorizada e até engraçada frente aos olhos da nova juventude.O que fazer então?!Eu sugiro que haja uma fraude de nossos sentidos.Sejamos cegos e surdos.Aproveitaremos tudo a partir de agora como se fôssemos jovens e belos.Fingiremos ser jovens e inconsequentes e,porque não,cometer algumas ilegalidades para sentir adrenalina.Vamos matar nossa sabedoria e viver num mundo paralelo a esse.Vamos nos sentir felizes mais uma vez e pela última nessa vida.Que assim seja.Amém

Nota1.:Percebam que a felicidade só pode ser encontrada através da ilusão nesse texto.


TEXTO 2

A melancolia de seus olhos simulava o que eu sentia quando tocava a água do mar.Seus cabelos irradiam a eternidade na qual eu não quero sonhar.Olho pra ti e vejo que já não há mais vida.Olho pra nós e vejo o quão mórbidos nos tornamos depois de tantos excessivos deleitos fúteis.Não há sonho,nem dor,nem piedade.Resta a experiência de tudo que passamos e a vontade de jamais de tê-la.É ela que nos impede de repetir tudo,de ser infantis,porra-loucas e excessivamente alegres de novo.Os gestos perdem a majestade,o vento frio já não causa sensibilidade.Eu olho em teus olhos para não ter que olhar nos meus.Mas tudo que vejo em ti é reflexo do que criamos juntos,portanto somos um e eu acabo me encontrando em ti por fim.*A desgraça abandona-nos em leves toques em meio a delírios.O vulto chega,leva-nos nada,porém leva-nos tudo.Imagina-se ser absurdo o momento da morte.Mas não é.É doce,tranquilizante e faz-nos ansioso a descobrir outras dimensões,dá-nos toda a força de vontade,vida e felicidade.


Nota2.:*O momento de morte começa exatamente ali e é exatamente o momento onde a paz começa a reinar.Conclusão:No texto,morte significa paz.


TEXTO 3

Nada a acrescentar.Chegamos ao fim da vida velhos e céticos.Todos mórbidos com tanta experiência e tanta sabedoria.Invejam-nos alguns jovens que dizem querer ter nossa paz.Enganam-se eles.Querer estar em estado vegetativo,perecendo mais e mais rapidamente a cada dia e assistir a isso conscientemente,causa coisas que chamam de depressão,insanidade e outras coisas mais.A real fonte disso é a falta de vida em nossas veias,a falta de vivacidade em nosso olhar e pele.É a falta de tudo.É o absurdo do esvaecer-se adentrando corpo,mente e coração.É o perder-se na falta de objetivos e achar que tudo feito foi em vão.Enganaram-nos aqueles que disseram que era a hora de descansar e aproveitar tudo que tínhamos construído.Na verdade,ainda há muito mais para se fazer,vencer e superar.Quando isso se percebe,parece que falta vida em nosso corpo para tudo isso realizar e quando tenta-se entregar ao descanso,esperando a hora da morte,vê-se a falta de lucidez corroendo-nos.

Nota.:Esse mini-texto é apenas uma análise e não tem exatamente uma conclusão como os textos anteriores.


Leiam e divirtam-se.Os textos ainda são um pouco densos,porém mais poéticos e belos que os passados.Mas não chegam a ser doces.Eu ainda considero esses três como boas coisas escritas por mim.

Abraços

Um comentário:

heart-of-glass disse...

Ótimos textos. É, será que todos sentirão isso ao envelhecer? Não quero que minha vida se torne se torne um vazio, e muito menos uma ilusão. Será que todos se sentem assim? Ou não. Enfim, você escreve muito bem, gostei muito do seu blog =D. Beijos ;*