quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Alguém

Hoje eu acordei e não estava lá.A minha vida não estava lá,as minhas coisas não estavam lá.Aquela cama que me abrigava,não era a minha.Aquele quarto parecia pequeno demais,aquela rotina parecia sufocante.Eu já não era eu,já não queria ser eu.Nada ali me pertencia.Era a maturidade que chegava.Eu sempre me deixei levar demais,sempre deixei que datas e acontecimentos me influenciassem de maneira excessiva.Eu já não tinha controle sobre o meu lado psicológico e,naquela manhã,ocorreu o ápice.Eu estava completando 14 anos e tudo me incomodava.A excessiva falta de progresso profissional e financeiro dos meus pais,a falta de progresso intelectual da minha mãe,a minha incapacidade para me dedicar com seriedade e afinco a alguma coisa.Fiquei triste também com o meu desinteresse pela vida.Os dias foram se passando e eu achava a casa pequena demais,descobri que o computador que antes eu tanto amava,não suportava metade dos jogos que eu poderia vir a querer,descobri que a minha escola que antes parecia tão boa,não passava de uma escola qualquer,com um ensino de regular pra insatisfatório.E agora?O que fazer?Há,basicamente,duas opções:permanecer ranzinza e assistir as vitóris alheias ou reagir e lutar pelo que eu quero,pelo que eu gosto.É óbvio que a segunda opção é infintamente melhor,mas não foi ela que eu escolhi.Eu até hoje não sei o porquê mas foi a minha escolha.Eu lembro que tinha vários amigos e amigas e eu sempre me esforçava ao máximo para ajudá-los,aconselhando-os e estando por perto quando necessário.Quando eles arranjavam alguém pra namorar,eu tentava ficar feliz e até ficava realmente,algumas vezes,mas aquilo já não me satisfazia.Sugar o prazer dos outros para transformar em algo meu,já não bastava,eu tinha que achar outro hobby.Escolhi um que me parecia interessante:agir.Simplesmente agir,falar,sem pensar muito.Mas isso teve consequencias(sem o trema) desagradáveis,então tive de parar antes que mais "amigos" se afastassem de mim.Coloco as aspas porque foi um pouco depois disso que eu descobri que não tinha amigos de verdade.Os que se afastaram,ao invés de tentar me ajudar e perguntar o que estava acontecendo comigo,simplesmente pararam de falar,de se comunicar comigo.Resolvi que o melhor era dar mais atenção a mim mesmo,ao que eu gostava e começar a procurar por pessoas que compartilhassem dos mesmos gostos,das mesmas vontades e,com isso,que me valorizassem mais.Para me entender melhor,acabei ficando bem mais recluso e reservado.Devido a isso,acabei gostando de ler.Não de ler muito,mas de ler coisas que me interessavam.Gostei de uns escritores aí que meus antigos "amigos" nem imaginavam existir e ainda não imaginam,eu acho.Achei pessoas que gostavam realmente de mim,eu passei a gostar mais de mim e só assim passei a lutar pelo que eu queria.Por gostar de ler e escrever,tentava sempre me aprimorar na escrita,seguindo as indicações de professores de Redação.Por amar música,passei a frequentar(sem o trema) shows e eventos de meu interesse,com pessoas mais parecidas comigo e hoje estou satisfeito.Ainda não cheguei onde quero mas há tempo.E há paciência em mim para saber esperar,para saber agir.Eu não me considero uma pessoa feliz mas uma pessoa satisfeita,o que já é bastante.O que me deixa "feliz" é saber que me livrei de tanta coisa inútil ao longo desses 4 anos.Obrigado.

Obs.:Não,não é autobiográfico.Não sou eu o narrador-personagem desse fragmento.Pode até parecer mas não é.

Um comentário:

Báah - Thoughtless disse...

Bom a "obs" do final foi muito bem colocada.