quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Feliz Ano Novo

Feliz Ano Novo?Feliz Ano Novo!Quantas reflexões,opiniões e debates poderiam ser construídos a partir de toda esa mistificação do fim do ano?Inúmeras,sem dúvida.Por mais que muitos desses já tenham sido esgotados,sempre vem algo à mente(pelo menos à minha).É um simbolismo fútil?Se o brasileiro valoriza o Ano Novo mais do que os outros povos,significa que o brasileiro é excessivamente supersticioso?Eu responderia sim para as duas perguntas.No Brasil,até os céticos são místicos.Todo mundo tem seus rituais,por mais secretos que sejam.Alguns vestem-se de branco,outros pulam 7 ondas pra pedir benção a Iemanjá.Qual é o meu rito?É não ter rito.É tentar mostrar o quanto eu não me importo.Ter esse ar relaxado e leve,em toda virada de ano.Enquanto todo mundo tenta colocar roupa nova,bonita e "chique",eu coloco uma roupa que eu colocaria em qualquer outro dia.Acho que isso não deixa de ser um ritual.
Engraçado pensar que no melhor ano da minha vida,eu estava de preto no Reveillon.Acho que foi exatamente por esse espírito de querer fazer tudo diferente é que aquele ano deu certo.Eu fiz diferente e gostei.Muita coisa daquela personalidade,recém-nascida na época,ficou.Ficaram os bons momentos que tive e os hábitos positivos.Por exemplo,hoje é estranho pra mim,dormir sem ler alguma coisa antes.Seja conto,romance,jornal ou revista.Simplesmente ler.Eu fiz disso um hábito,antes não era.A descoberta de uma personalidade mais simples e menos sofrida.Tudo foi muito bom.

Estou ouvindo agora o famoso "cd da banana".Pra quem não conhece,é o Velvet Underground and Nico de 1967,com uma simples banana na capa.Capa feita por Andy Warhol,que registrou vários momentos da banda.É engraçado pensar no Andy Warhol como gênio hoje."Transformar em arte,coisas cotidianas,eu poderia fazer isso".Realmente eu poderia,mas não fiz.Quando eu olho uma pintura de Renoir,de Salvador Dalí,de Frida Kahlo,aquilo é visto imediatamente como arte,devido à complexidade de detalhes.Devido à perfeição com que se representa a humanidade e o que a cerca.Mesmo sem querer,é assim que a maioria enxerga a arte(eu estou incluso nessa maioria,só nessa).A arte tem de ser algo muito complexo,distante de nós.E é por isso que na época foi difícil a concepção do Warhol como artista.Naquela época,ter aquele tipo de visão foi muito importante,pelo fato deque aquilo parecia totalmente novo e impensável.Hoje isso é já é visto com tranqüilidade por um número legal de pessoas(ainda não a maioria),que fazem da arte algo simples,real e palpável.É por isso,que incentivo as pessoas a escreverem.Talvez pudese haver um gênio naquela pessoa tímida,que esconde seus textos.Naquela pessoa que desenha escondida nas aulas,poderia haver um grande desenhista.Mas só há grandes artistas,quando passos são dados.Se o Andy Warhol tivesse sentido vergonha de mostrar e expressar como ele via as coisas,o que ele seria agora?Ele não seria,ele não existiria.Atitudes similares à do sr. Warhol podem ser vistas na arte plástica de Marcel Duchamp que,acabei de descobrir,é chamada de Ready Made.O Duchamp fazia coisas interessantes também como colocar mictórios e rodas de bicicletas em exposição.E pra provar ainda quão relativo é o conceito artístico e quão desnecessária é a preocupação ao se escrever ou fazer pinturas,há o Dadaísmo.O que é o Dadaísmo?É algo do tipo:"olha e reflete".Enxergou alguma coisa?Ótimo.Não enxergou?Tudo bem também.Seria a arte pela arte.A tentativa de não se dizer nada ao fazer arte.
Um problema que existe é que,como tudo na vida,toda essa abrangência dada ao que significa arte,além de incluir um número grande de pessoas na arte,o que é maravilhoso,torna as coisas um pouco fúteis e vazias.Qualquer um pode se dizer artista.Desde Goethe até alguém que tenha um post em um blog contendo apenas a letra A.Desde Dante Alighieri até aquele preto da sua rua que picha qualquer merda na parede.E aí?Como faz?Ah,se todos tivessem a capacidade de uma autocrítica sincera...
Falando de desejos impossíveis...não,desculpe,falando simplesmente de desejos,ai vai aquela pergunta bem surpreendente e original:o que você quer realizar neste ano que chega?Por favor,respondam!
Eu diria que quero começar a juntar dinheiro pra fazer uma viagem pro exterior um dia,fazer um curso de cinema ou fotografia e pra poder gastar em cultura(nota:o último já vem acontecendo).Então pra todos vocês,um ano repleto de coisas possíveis.De desejos e realizações possíveis.De sonhos palpáveis e realidade bonita.É isso que desejo pra vocês.
Feliz 2009

3 comentários:

Amity disse...

é como o Leminski falou:
"Servir. Prestar. O serviço militar. Dar lucro. As pessoas Não enxergam que a arte (a poesia é arte) é a única chance que o homem tem de vivenciar a experiência de um mundo da liberdade, além da necessidade."


ah sinceramente, eu ando tão pessimista que todo sonho que tenho vem logo uma nuvem negra que não me deixa acreditar neles, sabe?

-eu queria ver o show da minha vida(Radiohead)>> não vou.
-eu queria me dar realmente bem no cefet, conseguir pelo menos um estágio(não estou, nem vou)
-eu queria ter equilibrio emocional e ser mais segura(tá piorando)
-eu queria viajar o mundo(tem nem perigo)
-eu queria dar a vida que minha mãe merece
-eu queria ver que eu realmente sou feliz, apesar de ainda não ter tudo isso dito acima

Mel. disse...

Só pra esclarecer um ponto. Quando você diz:

"...há o Dadaísmo.O que é o Dadaísmo?É algo do tipo:"olha e reflete".Enxergou alguma coisa?Ótimo.Não enxergou?Tudo bem também.Seria a arte pela arte.A tentativa de não se dizer nada ao fazer arte."

Eu não creio que Dadaísmo seja exatamente isso...Concordo, em parte. Bem, a própria palavra "Dada", significa exatamente a falta de significado. E os dadaístas procuravam proclamar uma arte que ia além de algo visual, de algo belo aos olhos. Eles queriam fazer arte, e fazer com que as pessoas refletissem a partir de suas obras, que captassem uma mensagem, diferentemente das obras acadêmicas, por exemplo. O Dadaísmo foi um movimento que deu origem a vários outros também! Por exemplo, o ready-made foi a matéria-prima para a Arte Conceintual, que veio um pouco depois do Dadaísmo. Mas não confunda Dadaísmo com ready-made! Ready-made é característica de uma obra, enquanto Dadaísmo é um movimento artístico!

No mais, bom post! Compartilhamos da mesma mania de ler antes de dormir! Se tiver café, então...! hehe.

Beijos e bom ano!

Báah - Thoughtless disse...

Esse cd é histórico