domingo, 31 de maio de 2009

O sótão

Ah,como era ótimo o sótão.Havia paz,havia espaço e era tão confortável.Ela se apaixonou de novo.Como havia feito com um menininho quando tinha 6 anos,apaixonou-se pelo sótão.Amou o sofá velho que já nem lembrava mais que existia,amou o fato de ter que cuidar do sótão,como se fosse sua própria vida.Tirava as teias de aranha e espantou alguns ratos que tinham lá.Lavou tudo o mais rápido possível,para poder já usufruir de sua mais nova descoberta.De semana em semana,ela fazia uma enorme faxina lá,porque era fácil acumular poeira,logo a limpeza tinha de ser muito bem feita.De tão animada que ficou,até redescobriu um outro amor:os livros.E existiam vários deles no sótão.Com tanto interesse pela Literatura,acabou tendo vontade de voltar para a escola.E como estava tão imersa em seu mundo de livros e faxinas,já não ligava de fato pra opinião alheia e passou a fazer 1h30min. de caminhada todos os dias.Ela gostava de andar rápido e sentir o vento batendo em seu rosto e os pássaros cantando e as pessoas pessoando.Tudo era maravilhoso.Com as pesadas faxinas e as caminhadas,havia emagrecido e devido aos livros,estava mais forte mentalmente e realmente voltou a estudar.Resolveu terminar o Ensino Médio(e o conseguiu,já aos 22 anos).Para conseguir livros e devido às xeroxs que devia tirar,tinha que gastar e,com isso,foi obrigada a voltar a falar com os pais,que agora consideravam-na como um fardo ainda maior pelos gastos que causava.Magra e animada,agora tinha chance de conseguir algum emprego.Conseguiu emprego em um sebo perto de casa(melhor lugar impossível).Lia 3 livros por semana e sentia-se como se viajasse o mundo todo através dos livros.Com 24 anos,decidiu fazer um curso pré-vestibular.Não passou na primeira vez.Mas não desistiu e na segunda vez,lá estava ela,fazendo Jornalismo,um colega do sebo dissera que era bom pra ela que gostava de ler e escrever.E ela disse:"Mas eu nunca soube escrever bem".E em resposta ele disse:"Com o tempo,você aprende na faculdade mesmo".E foi isso que ela fez.Ela gostava muito desse colega por sinal.Se ele não tivesse namorada,ela tentava alguma coisa.E algo estranho parecia acontecer com ela:seu buço parecia estar cada vez menor e raspando regularmente ela nem parecia tê-lo de fato.E,com isso,já recebia alguns elogios.Por ter sido gorda,os seios,as coxas e a bunda grande ficaram,então já começava a ser disputada por alguns assíduos frequentadores do sebo.Mas ela não ligava pra nenhum deles,só queria ter alguém pra conversar mesmo.Tudo que lhe importava agora era a universidade.E o sebo estava começando a atrapalhar seus estudos.

Um comentário:

Báah - Thoughtless disse...

Esse é justamente o tipo de felicidade vulgar pregado pelos esteriótipos.