quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Sobre a falta da falta de todos

Eu hoje acordei de súbito.Suado,corado,assutado.Sonhei com a morte de todo mundo que eu conhecia,de todos que penso admirar e amar e o pior de tudo: não senti falta de ninguém.Ficou evidenciado o meu isolamento mental e a minha indiferença para com tudo e,principalmente,todos à minha volta.No sonho,sentia saudade de muitas dessas pessoas.Uma saudade grande mesmo.Mas percebi que a saudade já me é um sentimento comum,fácil de ser driblado e aceito.Imerso em solidão,descobri-me inclusive mais forte,mais livre e mais feliz.Eu poderia ser o que quisesse ser,não teria obrigação de parecer "isso ou aquilo" para ninguém.A sensação de liberdade me deu um ânimo incrível.Sentia uma felicidade indescritível e toda a minha vida se passou assim:sem os que eu conhecera um dia e sem fazer questão de criar grandes laços com novas pessoas.E,na hora em que eu ia morrer,acordei de súbito.Suado,corado,assustado.

Um comentário:

Bárbara Reis disse...

Talvez você não tenha sentido falta de ninguém por foi apenas um sonho.