quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Cachorros

Como pode haver tanta beleza e tranquilidade em um ser?Como há tanta perfeição em um só ser?Ao mesmo tempo que nos fazem companhia,carinho,sabem ouvir e nos animar,protegem a nossa casa.Mesmo sem treino,eles estão ali por nós,assim como estamos ali por eles.Enquanto a muitos seres humanos,nem vem à cabeça a idéia de retribuir favores(por uma simples questão de cordialidade e educação),os cães estão sempre lá.Latindo quando há algum movimento diferente nos arredores,pulando na gente quando chegamos em casa,mesmo quando estamos tão tristes a ponto de nem dar bola pra eles(coisa que eu já não consigo mais fazer de uns tempos pra cá).Impressionante ver que eles parecem ser o extremo oposto de alguns de seus donos,que sentem como se estivessem carregando o peso do mundo nas costas.Eles estão lá simplesmente sendo.Com aquela aparente leveza,aquela expressão de que tudo passa.Mas ainda existem os que mudam de humor junto com o dono.E ficam cabisbaixos quando sabem ter feito alguma besteira.E eu tenho certeza que nós somos muito mais "cachorros" que eles.Pois eles são dóceis,amáveis,companheiros,amigos de verdade e,principalmente no caso da minha cadela,extremamente resignados.Também há os que,por vezes,traem um pouco a nossa excessiva confiança,ficando mais agressivos,mas nada que um ser humano não faça(lembrando que há casos extremos de agressividade também principalmente como algumas raças feitas em "laboratório" para briga,como pitbulls,mas também tem gente assim).Venho expressar tudo isso em virtude do ápice de imobilidade da minha cadela.Antes ela já demonstrava dificuldades pra andar e subir a íngreme escada até seu canil.E nada.Meu pai sugeria construir o canil mais pra parte da frente do quintal,para que não houvesse muito esforço da parte dela.Mas agora já foi.Ela está tendo de se arrastar e nem sequer consegue sair de cima das fezes que faz.Tá muito complicada a situação.Eu já não sei por quanto tempo mais vou poder vê-la,acariciá-la,ficar babando por ela que nem um idiota e ficar dizendo o quanto ela é linda e comunicativa e meiga e perfeita.Eu já não sei mais.Talvez haja necessidade de sacrificá-la.Amanhã a gente vai viajar e só voltaremos no Domingo.Não sabemos se ela vai conseguir passar esses dias sozinha,apesar de termos deixado água e comida suficientes,mais que suficientes até.Ela ainda consegue se arrastar pelo canil.Sim,se arrastar,porque a perna dela parece ter perdido todo o movimento.Eu estou com medo de voltar pra casa no Domingo ou na Segunda-feira e ter de me perguntar depois desses dias:cadê ela?Cadê ela pra ficar pertubando,latindo,cheia de pressa pra comer toda vez que a gente vai colocar a ração?Cadê ela pra ser ela e deixar a gente mais feliz?Mesmo com todos os problemas e gastos que temos tido com ela,vê-la por aqui dá-nos uma felicidade inexplicável.Era tão legal,descer as escadas,completamente preocupado com coisas da escola e problemas de casa e encontrá-la pedindo carinho,deitando de barriga pra cima,chamando a gente com a pata.Eu não sei mas,considerando uma visão espírita(kardecista)da vida após a morte,não é de se duvidar que ela poderia vir como ser humano na próxima encarnação porque parece faltar tão pouco pra ela falar e conversar com a gente.Ela fala com os olhos,às vezes,sabe?E fazendo uns barulhos estranhos lá,que é das coisas que eu mais gosto de escutar.Mas ela nem tem feito os barulhos e parece meio triste por não poder sair muito do mesmo lugar.E como deve ser ter de se arrastar?E quanta dor deve sentir ao se arrastar?Sendo ela tão "pouco-cadela,quase humana",eu não sei o quanto isso a incomoda.Parece incomodar muito pela aparente inexpressividade com que ela foi tomada nos últimos dias.De acordo com o veterinário,teríamos que fazer uma radiografia nela,que fica longe daqui.Fica lá em Icaraí(pra quem sabe onde fica).E teríamos que achar uma maneira de transportá-la e ela não é nem um pouco leve também,um dos motivos pelo qual há essa debilitação na movimentação dela.Eu não sei.Eu não sei como a gente vai fazer.Se a gente vai pegar outro cachorro,pra não deixar o Beethoven sozinho aqui.Alguém pra que ele possa cruzar e ter filhos antes de morrer,não sei.Mas adquirir outro cão,sabendo que eles podem ir bem antes da gente,é complicado,pelo menos pra mim.Meu pai está em Frankfurt agora e eu falei da situação pra ele pelo telefone.Ele parece ter ficado um pouco desequilibrado,quase contendo choro,como eu tenho tido de conter a cada notícia ruim que minha mãe dá sobre ela.Espero poder voltar da Bahia,aquela terra infernalmente quente,pra uma cerimônia que eu nem quero ir,pois vou ter de perder aulas na nova escola e acho muito mais útil,assistir aulas do que ir numa cerimônia de formatura mas já que as pessoas ao meu redor são...ok,quase animais(por falta de palavra melhor),não há amparo para minha situação e eu sou obrigado a ir.Perder aulas e ficar longe da Tiara,estando ela nesse estado,só pra satisfazer caprichos da minha prima-irmã(que eu realmente gosto e considero como irmã,só que ela exagera nessas cerimônias,como na festa de 15 anos,com direito à valsa)parece ser um pouco absurdo.Mas de absurdo há muito na vida.A vida é um absurdo.Essa coisa de ser brasileiro,ter que aguentar a realidade de merda na qual estamos inseridos,lutando uma batalha de merda que eu não entendo e continuar rindo,como os brasileiros fazem é absurdo.Eu não sei o que não é absurdo por aqui.

3 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Natalie Portman, uma good girl, também canta... isto é, rapa, não é só a Rihanna dos olhos negros...

Báah - Thoughtless disse...

Sabe, esse talvez seja o meu problema com os cachorros...
Eu amo tanto os meus, e fico imaginando como eu vou reagir quando chegar a hora deles... Com a Maluca, foi horrível, mesmo quando estava claro que não tinha mais jeito. Acho que a missão dos animais de estimação é , com a sua humanidade nos tornar verdadeiramente humanos.

Táxi Pluvioso disse...

Radiohead.