terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Centésimo post.

Cem posts.Estranho,não?Passou tão rápido.Em nenhum dos cem posts eu tive mais de 5 comentários.As pessoas vêm aqui mas depois param de vir.Existem uns blogs portugueses,inclusive que estão aqui entre os meus blogs favoritos,que têm no mínimo 15 comentários por post.Mesmo assim,geralmente acabam tendo mais de 30 comentários.A que se deve isso?Adolescentes brasileiros não se interessam por temas sérios?RBD é mais interessante que o meu blog?Em Portugal as pessoas lêem mais?Por que isso acontece se o Brasil é absurdamente maior que Portugal?Eu acho que sei a resposta.Acho que muitos sabem.Apesar disso,fico feliz em ter conhecido pessoas novas em blogs e que fazem comentários muito mais relevantes que os de antes.Os comentários atuais,expoem opiniões sobre o que escrevo.Criticam,elogiam,realmente observam o que está se passando em cada texto.Os comentários antigos eram mais ou menos assim:
_"Parabéns!Continue escrevendo."
_"Ótimo blog.Beijos."
E outras coisas mais irrelevantes.Eram como comentários de um fotolog.Era como se o que eu escrevia equivalesse a uma foto.Não uma foto belíssima,na qual você é obrigado a se deter.Mas uma foto qualquer,inválida,igual a inúmeras outras.É bom saber que isso aqui tem se tornado,cada vez mais,um blog.
É verdade que muitos posts são coisas pequenas,reflexões íntimas e frases de efeito.É verdade que postei algumas letras de músicas e a resposta de Joaquim Pedro Andrade à pergunta:"Por que você faz cinema?",que também virou música com a Adriana Calcanhotto.Eu gosto daqui,acho o espaço legal,aconchegante.Não investi no visual dele,é verdade.Não tem layouts fantásticos e templates complexos.Mas é sóbrio,como eu gosto.Porque eu quero que o foco seja o texto.Não quero que venham ao meu blog para elogiar o meu template,como fazem em inúmeros blogs.Quem estiver interessado em ler,ótimo.Quem não estiver,não tem nada mais pra se fazer,observar ou admirar por aqui.É o texto pelo texto.São minhas palavras e ponto.
Eu tenho pensado em parar de escrever aqui,porque a sensibilidade que as minhas próprias palavras me causam,têm me deixado vulnerável.E eu vivo em uma terra,onde não se pode ser vulnerável.No fundo,já não sei se consigo.Já é estranho não escrever aqui.Da mesma maneira,que lancho todo dia,escrevo no blog toda semana.Seria legal publicar esses meus textos em algum lugar,pra ver o que outras pessoas acham.
Por último,não.Não,o centésimo post não tem nada de especial,ainda mais porque eu me impus uma certa falta de criatividade.E o 100 é só um símbolo.
Obrigado aos que passam por aqui freqüentemente,lêem,gostam,comentam.Agradeço também aos que vêm aqui,lêem,não comentam mas gostam,se divertem pelo menos um pouco.
Até mais.

3 comentários:

Mel. disse...

Ah, Black!
Eu sinceramente espero que você não pare de escrever. Saiba que assim como para você escrever virou um hábito, para nós ler seus textos virou rotina.
Tente fazer aquilo que vos disse... Dar um tempo, e depois voltar.
Obrigada por nos confortar com seus posts. :)

beijos!

Bruna disse...

confesso que não sou frequentadora de blogs pois odeio ler no pc,mas não é a primeira vez que venho nem a primeira vez que leio algo de sua autoria..heehe mas esse cetésimo post é mt realista..infelismente é..mas prefiro pensar que enquanto uns disperdiçam seus tempos com coisas do gênero "RBD" , nós nos destacamos e crescemos com coisas mais inteligiveis (; e te admiro muito,e você sabe.parabéns pelo blog..queria saber escrever bem assim como você..pode parecer meio piegas...maass..NAO PARE! ahuhea x)) Se um dia você escrever um livro,ou publicar qualquer coisa impressa..não vou deixar de ler por nada..ok?Não pq é vc e é meu amigo..não só por isso..mas pq sei q nossos assuntos são de comuns interesses ;D viva o rock n roll,e a filosofia
beijos,sua fã numero uum..boo

Báah - Thoughtless disse...

Eu já me conformei em ter em meu blog apenas 3 ou 4 comentários de pessoas a quem eu mando o link... com excessão óbvia de você e da Lara...
Mas no fim , eu não me importo em ter um único comentário ...
Se eu conseguir fazer com que alguém reflita, já terá valido o espaço que ficou vazio