quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

The Tourist

Eu acho que há bons motivos para se sorrir.Eu tenho em mãos o ingresso da banda que eu mais amo(ainda existente),passei com uma ótima classificação no concurso que eu queria e o computador que eu tanto queria?Eu estou escrevendo nele agora.Tudo deu certo no final.Quer dizer,quase tudo,mas já está de bom tamanho.Ano passado eu fiz coisas muito menores,tive conquistas muito menores e,ainda sim,eu me sentia melhor.Eu sei os motivos.Sei muito bem os motivos mas,ainda sim,soa estranho.Esse ano fui ao show do Interpol,que foi fantástico,momento único.Até Untitled eles tocaram!Fui no show do Muse que,na minha humilde opinião,faz um dos melhores shows de rock n' roll do planeta,se não o melhor.Acho que é o melhor sim,das bandas mais recentes é o show mais incrementado e com mais detalhes,feitos por uma banda de qualidade.Há músicos que fazem shows grandiosos e péssimas músicas.Juntando com os três fatos citados anteriormente,é demais!É demais mesmo.Eu poderia agradecer a Deus.Até dá vontade,só pra renovar alguma humildade possivelmente perdida,mas não.Eu agradeço a mim.Como agradecer a uma entidade invisível,os resultados do duro trabalho?Duro trabalho que é meu e dos meus pais.Foi Deus que passou um ano inteiro enfurnado em uma sala cheia de homens extremamente animalizados e estúpidos.Foi Deus que trabalhou tanto quanto meu pai trabalha,e teve que ir pra São Paulo há pouco tempo,tendo de ficar longe da família.A impressão que eu tenho é que,agradecer a Deus não é humildade,é humilhação.Extrema humilhação e desvalorização do seu próprio trabalho,empenho e força-de-vontade.Porque não era Deus acordando 5:30 da manhã todo dia,tendo 15 anos de idade.Esse tipo de agradecimento,significa uma subestimação de si mesmo.
O ano chega ao final e eu gostaria de fazer como os outros e esquecer tudo que aconteceu no ano anterior,esperar soluções milagrosas no ano que entra e se jogar.Mas isso não acontece,ainda mais agora,que percebo o quanto é válido ser sincero comigo mesmo e observar os erros passados.Por mais que a enorme maioria da população não concorde,é olhando pra trás que se evolui.É repassando as suas fraquezas que se descobre o quanto é possível melhorar.Deu certo dessa vez.Dessa vez,apesar de quase ter feito tratamento psicológico,não teve nada próximo à depressão,não teve a excessiva decepção com os outros.E isso aconteceu porque eu estava concentrado nas minhas atitudes.É difícil ser coerente com os próprios objetivos,às vezes.Por vezes,a gente escapa um pouco da linha e já é o bastante para o insucesso.O significado de sucesso é relativo,mas no nosso íntimo há algo mais forte que diz outra coisa.Essa busca incessante pelo sucesso,promovida pelo modelo econômico atual me preocupa um pouco,de vez em quando.Mas quando me achar perdido e selvagem em busca desse modelo ideal de sucesso,é simples.Eu pego meu discman(eu ainda gosto de comprar e de ouvir cds,ok?),tiro o Ok Computer da capa e ouço.É só colocar na última música do disco,que eu vou ouvir exatamente o que preciso:
_"Hey man,slow down!Slow down!Idiot,slow down!Slow down.

3 comentários:

Aline disse...

Aí... gostei muito desse post, black. Muito legal, sério mesmo! \o
Ano novo, apesar de matematicamente não ter nada em especial, psicologicamente ajuda muita gente.. rs... eu inclusive =P ABS

Báah - Thoughtless disse...

Apesar do meu "momento religioso"atual eu também não consigo manter nehum tipo de diálogocom deus e por mais que isso seja sincero eu ainda ouço a minha voz dizendo coisas do tipo:"-Meu deus!" Mas eu faço das suas palavras as minhas...
Não foi deus que acordou ás 4:30am para ir aturar gente fútil, não foi ele que se manteve distante dos amigos, que teve dias em que chegou em casa ás 22:00pm pra estudar e por comida pros cachorros, ele não foi cobrado nem serviu de babá...
E no fim das contas minha voz ainda repete: "Graças á deus!"

Amity disse...

radioheaaad aiai

fico arrepiada com essa musica.

**