sábado, 20 de dezembro de 2008

Retalhos

Qual é o máximo de tempo que eu consigo ficar sem postar no blog?Eu não sei.Só que tá sendo muito difícil não postar.Eu tenho tido vontade de roubar frases.Fazer com que elas sejam minhas.Roubar músicas,achar que fui eu que compus.Só porque eu gosto muito.Uma dessas músicas tem uma estrofe assim:
"All I want in life's
A little bit of love to take the pain away
Getting strong today
A giant step each day"

Eu achei muito legal.Eu nem sei se faz tanto sentido assim,mas é bom pensar que sim.Pra mim,faz sentido.
Já que é pra colocar fragmentos,vai um:
Os problemas são muito maiores que eu.Eu desisto.
My problems are much bigger than I am.I quit.

E por que esses fragmentos me vêm à cabeça?Soltos.Flutuando sozinhos.Assim como eu flutuo sozinho.Mas por que?Por que tanta tristeza?Tanto isolamento?Tanta melancolia?Porra,eu sou uma criança.Olha a minha idade.Eu devia estar indo a micaretas e pegando as cocotinhas(é esse o vocabulário mesmo).Por que eu?Por que não aconteceu com o vizinho?Por que o garoto estranho não é aquele meu primo que fuma e pega mulher?É muita sorte ou muito azar?Quantas vezes eu já pensei em desistir da minha vida e quantas vezes outras pessoas já me disseram que queriam ser como eu?Se eu contar e a primeira vencer,posso me matar agora?Com o tempo,pensei que Deus fosse aparecer pra ficar na minha vida.Mas cadê?Ele tava tão perto quando eu era criança.Um dia sumiu e não tem voltado.Nem pra conversar,tomar um café.Quantos anos faltam pra eu me entregar a completa ignorância?Eu acreditava que fosse me livrar desse ceticismo desde que comecei a ler um pouco de filosofia.Mas só aumenta.Eu tenho medo do amanhã,o passado é feio e o presente machuca.E aí o que eu faço?Por agora,posso escrever um conto.

O CONTO
Havia um poeta que queria escrever um conto.Mas por que agora?Por que depois de tantos anos de belos e complexos poemas,ele queria escrever um conto em prosa?Só para transgredir as suas limitações.A vida sempre lhe impôs limites e através de sua literatura,ele bania os limites.Ele começou assim:
"Era uma vez..."
Mas parecia-lhe artificial.Não tinha a profundidade e a originalidade de sua poesia.Passou a noite toda,tentando escrever pelo menos duas páginas.Tudo em vão.Acabou dormindo em cima dos papéis e acordou frustrado na manhã seguinte.Fez tudo de qualquer jeito no dia seguinte.Até o ato matinal de ir à padaria e depois comprar jornal,que ele tanto apreciava,parecia efêmero e sem graça.Fez tudo correndo,só para poder escrever de noite.Planejou milhares de tramas,pensou frases bem elaboradas e quando sentou-se na escrivaninha...nada.O papel ficou em branco,novamente.A partir disso começou a refletir:
_Eu que me achava tão genial,sempre elogiado por amigos,pela capacidade de expressar sentimentos com tanta clareza,tenho de limitar-me a estrofes e versos.Não passo de um...poeta.
E a tristeza pela sua incapacidade foi dominando o poeta cada vez mais.Já que não havia mais nada a se fazer,voltou a escrever poemas.Poemas dessa vez muito mais tristes e,já que sua tristeza havia sido enorme,os poemas vinham cada vez maiores e ele acabou por compôr sua maior obra,não só no tamanho,pois misturava algo da frustração advinda de sua experiência mal-sucedida com suas antigas inspirações.Depois de ver a perfeição de sua recém-nascida obra poética,parou e pensou:
_Será a melancolia a maior das inspirações?
Com essa reflexão,escreveu inúmeros ensaios e até contos,tendo como personagem principal,a melancolia.
E foi feliz para sempre.




Desculpe a falta de finalidade do conto.Ele simplesmente é.

3 comentários:

Báah - Thoughtless disse...

Porque ainda se enxergar como uma criança?! Eu passei o ano quase todo com a mesma idade que você e , tenho certeza que o fato de eu não me preocupar com o tipo de comportamento que espero de mim foi o que reteve a minha sanidade.
Eu sinceramente acho sua mente brilhante, quem espera que você se comporte como um acéfalo , realmente nunca ouviu falar no Black.

Humana disse...

Meu querido eu não entendo o que é "ir a micaretas e pegando as cocotinhas".
Depois explica sim?
Como todos os poetas és um sonhador e como tal és insatisfeito por natureza.Revi-me nas tuas palavras e parece-me que temos idades bem diferentes.
O sonho vai continuar a comandar as nossas vidas disso eu tenho certeza!
Um beijo enorme e desejos de um FELIZ NATAL!

Mel. disse...

"É tão difícil as pessoas razoáveis se tornarem poetas, quanto os poetas se tornarem razoáveis."

Você não precisa ser razoável, black. Saiba que sempre haverão pessoas para te criticar e desacreditar em você. Mas, por outro lado, haverão muitas outras para fazer exatamente o oposto!

Aguardo mais posts!
beijos.