sábado, 10 de outubro de 2009

Reflexões tardias

Assim como o cigarro que queima entre meus dedos neste momento,estou aceso.Aceso como as luzes cintilantes desta cidade doida,desvairada e perdida.Aqui é lugar de ninguém.É estupro,bala perdida e o que mais tiver de ruim,a gente inclui.Acho que todos os lugares estão ficando assim,na verdade.Mas há aqui um pioneirismo admirável.Às 2 da manhã encontro-me fumando e admirando os carros e as luzes e as cores desta cidade que nunca pára.Aqui da Zona Sul tudo é fácil.É fácil olhar o Morro Dois Irmãos e falar como ele é lindo.É fácil olhar para os carros lá embaixo e brincar de adivinhar a vida das pessoas que estão lá dentro.Essa facilidade já me enojou muito durante a adolescência.Agora não.Agora gosto disso.Agora sei que é um privilégio.Sei que quando se nasce na Baixada ou,principalmente,dentro da favela,é difícil falar que um morro como o Dois Irmãos é bonito,porque provavelmente você conhece alguém que já teve contato com o mundo do crime.Em Ipanema,o assalto na entrada do seu prédio pode virar filme(de "ficção"),documentário,crônica,pode virar um conto.As pessoas de classe média alta são muito criativas pelo que parece.Sob a lente delas,tudo vira arte.O pretinho fodido pivete pode ser o personagem de uma bela história de amor.Tudo é possível.E é isso que me assusta,às vezes.Essa facilidade para se enxergar tudo com outra lente.Sim,é uma ótima coisa a se fazer.Fazendo isso,fica mais difícil de se apavorar tanto com tanta atrocidade mas ainda assim acho complicado isso de enxergar marginalidade sob um ponto-de-vista artístico.É abstração demais pra mim,às vezes.Depois de tanto pensar,o dia nasce,a carteira de cigarros acaba e é hora de trabalhar.Foi mais uma noite em claro.Mais uma!O que está acontecendo comigo?

2 comentários:

Bárbara Reis disse...

Eu gostei muito. A crítica que você fez,é feita a mim por mim mesma frequentemente.

Mel. disse...

Já disse que você é extremamente crítico, Black. E não tenho mais o que comentar a não ser deixar essa frase pairando no ar. Ou melhor, pairando em sua página de comentários. . .