segunda-feira, 27 de julho de 2009

Fragmentos

É tudo muito bobo.Não é poesia,porque poesia é uma coisa bonita,eu acho.Na verdade,é poesia,porque qualquer merda escrita em versos é poesia.O que varia de uma pra outra,do cara como eu(quando "escreve poesia") pro Drummond ou pro Fernando Pessoa é a qualidade.Só isso.

Sono 1

Acordo grotesco,
cheirando a sono.
Sono tem cheiro?
O sono mora no meu peito
e eu só amo,eu só quero
sono.
Eu durmo.
Nas aulas de Geografia,
nas aulas de Biologia,
no ônibus,no trem,no bonde,
no sofá.
Eu sono durmo mais do que deveria.

Sono 1/2

Acordo grotesco,
cheirando a sono.
Sono tem cheiro?
O sono mora no meu peito
e eu só amo,eu só quero
sono.
Eu durmo demais.
Nas aulas de Geografia,
nas aulas de Biologia,
no ônibus,no trem,no bonde,
no sofá.
Eu,sono.

Frag.1

Eu não acho a escola chata
por que eu não posso.
Mas se eu pudesse...

Frag.2(verídico)

Eu nunca vi morça,
nunca vi golfinho,
fiquei puto hoje de manhã,
por causa do passarinho
que cantava às 6 horas da manhã.

Um comentário:

Báah - Thoughtless disse...

Eu gostei Black!
Mesmo. Gostei da sua métrica,é melhor que a minha,eu só consigo escrever sonetos. O primeiro poema que eu li que citave uma morsa e eu não achei maçante. Lê depois a "Morsa e o carpinteiro" do Lewis Carrol.