sábado, 4 de julho de 2009

Poucas coisas me inspiram ou me agradam.Machado de Assis não me agrada muito,Saramago até que está sendo aceitável mas não é como Clarice ou Kafka ou Tolstoi ou Pessoa.Por que eu sou assim?Até dentro de meus gostos peculiares sou diferente.Hoje já não é assim pra música mas antes,eu gostava de uma banda pouco conhecida pelas pessoas ao meu redor,aí gostava de certas músicas mas nunca eram as mais famosas ou as que a maioria dos fãs gostava.Dentro de uma minoria,torno-me minoria.Como se faz isso?Como pode-se atingir um padrão mental tão afastado de todo mundo?O que é isso?Em literatura,sou lento e a maioria das coisas nem me agrada.Aí complica,e muito.Tenho curiosidade.Curiosidade de ler vários livros mas aí fico emperrado em um por muito tempo e esqueço que estava afim de ler aquele outro e dá uma agonia tão grande de ficar lendo coisas que não me interessam.Como agora em "A Viagem do Elefante",que já estou lendo há bastante tempo,é uma história sobre uma realidade que não tem a ver comigo,sobre pessoas que me são estranhas,não me identifico com nada ali.Isso é muito ruim,chato mesmo.Eu teria que nascer de novo pra ser a pessoa legal e interessante que pretendo ser.Eu sou um fingimento,eu acho.Um fingimento de tudo.Eu sou tudo ao mesmo tempo e nada,na verdade.Posso conversar sobre um monte de coisas sobre as quais não conheço, com propriedade inclusive,dando a impressão de que sei muito sobre aquilo mas,na verdade,não sei.Eu li em algum lugar alguma referência àquilo.Algum fragmento de livro que li dizia isso.Eu não sei como absorvo tanta informação sobre as coisas.Eu falo muito sobre o vazio e esse é um tema que me interessa muito porque eu sou assolado por um enorme desinteresse pelas coisas.Eu acho que só gosto muito de música,o resto é estranho,etéreo,superficial,é "moody".Uma hora sim,outra não.Agora eu gosto,amanhã não sei.Com cinema é mais ou menos assim porque gosto muito também.Com literatura acho que tenho um relacionamento bem delicado também,enjoo dela,me canso das coisas que leio.Mas aí pego um conto da Lispector,pego um poema do Ferreira Gullar,Mário Quintana,Fernando Pessoa,um conto da Kafka,aí quase morro do coração de tanta beleza que vejo ali.Em que tipo de grupo eu me encaixo?Em vários e em nenhum ao mesmo tempo.E é isso que é tão complicado.Acho legal ler,gosto de cinema,teatro mas nunca gostei da palavra "cultura"."Cultura" pra mim sempre foi algo chato,longo,que quer te passar um grande ensinamento.Devido a isso perdi muita coisa.Muito "evento cultural","feira cultural".Perdi muita cultura.Ah,sei lá.É tudo besteira,na verdade.

2 comentários:

heart-of-glass disse...

Tenho sérios problemas com isso de empacar em livro também, porque não consigo deixar de ler, tenho q ler até o final mesmo sem gostar. E nisso, ficam os livros que eu quero ler guardados, e eu eternamente lendo um livro que não me agrada. E eu enjoo de tudo, até de música :/. Hoje gosto de uma banda, amanhã não. E é um saco gostar de algo sabendo q um dia vou cansar.

Báah - Thoughtless disse...

Não tenho um relacionamento delicado com literatura, e sim com o tempo.Quero ler cada vez mais rápido para ler mais, assimilar coisas tão rapidamente quanto o carro de fórmula 1 do outro texto...
Tenho medo de morrer e não ter aproveitado a cultura que a vida tem a oferecer. Mas cultura é um conceito muito relativo.