domingo, 30 de agosto de 2009

Acabou.

Acho que já chega a hora do fechar dos portões,do cerrar de olhos,da pausa nas respirações,sístoles,diástoles e tudo mais que seja voluntário ou involuntário.Vou-me feliz,porque preciso ir.Não cumpri missão e não cumpriria caso ficasse aqui por mais tempo.As coisas já me irritam mais facilmente,as pessoas começam a desaparecer,cada vez menos tenho ajuda.É um belo desfecho pra algo tão medíocre,confesso.Esse tom dramático de final triste é deveras grandioso pro que foi uma vida de egoísmos e excentricidades.Mas confesso que fiquei um pouco sentido com o fato de não enxergarem como me senti.Sentido por não entenderem que precisava ser egoísta,me conhecer,me estudar,mergulhar em mim mesmo,me aprofundar na ciência do Eu para que,um dia,quem sabe,eu pudesse melhorar minha auto-estima.Eu já não estimo nada aqui.Apenas estimo minha dor,que foi minha companheira nesses últimos dias.E,no final das contas,o amor não existe.Ninguém me amou de verdade.Acho que eu nunca amei ninguém de verdade,também.E,por isso,não houve reciprocidade.Eu agradeço ao Kasabian,ao Cachorr Grande e aos Beatles por esses últimos dias.Agradeço ao meu cachorro,que é sempre menino e levado e pertubado e sempre jovem e eu queria ser como ele.Ele é um exemplo,eu acho.Mais do que esse bando de filhos-da-puta racionais.

3 comentários:

Mari. disse...

"não existe o amor/não existe..."
esqueça essa coisa toda de auto-estima... tente levar as coisas menos à sério... :D

Mel. disse...

Nossa, na metade do texto achei que você ia falar algo do tipo "fecharei o blog!"


que susto!

Bárbara Reis disse...

Quando li o título,achei que você fosse encerrar o blog...
Confesso que estou preocupada, o texto me deixou preocupada.
Eu continuo acreditando que a cumulo nimbus vai sair de cima do seu jardim.